lockquote [Semana Shadowhunter] Livro VS Filme - Cidade dos Ossos ~ Diurnos - Os Leitores

sexta-feira, 24 de abril de 2015

[Semana Shadowhunter] Livro VS Filme - Cidade dos Ossos





O LIVRO

Título: Cidade dos Ossos
Título original: City of Bones
Ano de lançamento: 2007
Número de páginas: 459
Editora: Galera Record
Skoob

Sinopse:Um mundo oculto está prestes a ser revelado... Quando Clary decide ir a Nova York se divertir numa discoteca, nunca poderia imaginar que testemunharia um assassinato - muito menos um assassinato cometido por três adolescentes cobertos por tatuagens enigmáticas e brandindo armas bizarras. Clary sabe que deve chamar a polícia, mas é difícil explicar um assassinato quando o corpo desaparece e os assassinos são invisíveis para todos, menos para ela. Tão surpresa quanto assustada, Clary aceita ouvir o que os jovens têm a dizer... Uma tribo de guerreiros secreta dedicada a libertar a terra de demônios, os Caçadores das Sombras têm uma missão em nosso mundo, e Clary pode já estar mais envolvida na história do que gostaria.

 O FILME

Título: Cidade dos Ossos
Original: City Of Bones
Produção: Don Carmody - Robert Kulzer
Direção: Harald Zwart
Roteiro: I. Marlene King - Jessica Postigo
Gênero: Aventura / Fantasia / Ação
Distribuição: Sony Pictures Entertainment
Duração: 122 min
Lançamento: 23/08/2013

Clary Fray (Lilly Collins) presenciou um misterioso assassinato, mas ela não sabe o que fazer porque o corpo da vítima sumiu e parece que ninguém viu os envolvidos no crime. Para piorar a situação, sua mãe desapareceu sem deixar vestígios e agora ela precisa sair em busca dela em uma Nova Iorque diferente, repleta de demônios, magos, fadas, lobisomens, entre outros grupos igualmente fantásticos. Para ajudá-la, Fray conta com os amigos Simon (Robert Sheehan) e o caçador de demônios Jace Wayland (Jamie Campbell Bower), mas acaba se envolvendo também em uma complicada paixão.
Muitas pessoas não gostaram do filme de Cidade dos Osso, já eu, não posso dizer o mesmo, eu realmente achei bem legal o filme, claro, me decepcionou em alguns pontos, mas eu gostei. E hoje estou aqui para fazer uma comparação do livro e do filme.

Para começar, houve algumas mudanças, que não foram absurdas, e sim necessárias para que o livro fosse transmitido nas telinhas. Uma destas mudanças que não podemos deixar de fora, foi o personagem Simon, no livro, ele não entre tão rapidamente neste novo mundo de sua melhor amiga, já no filme é de imediato. Isso foi, de certa forma bom, pois ficou em uma enrolação no livro, e para não ficar muito longo, isso foi necessário. Já que estamos falando de Simon, seu intérprete, Robert Sheeran, se não foi o melhor, está entre os melhores atores do filme, com o humor negro e piadas sarcásticas, que só o Simon consegue ter.

No começo do livro, temos a cena da boate Pandemônio, no filme também, mas tivemos algumas modificações.
No Livro: Para matarem o demônio, Jace, Izzy e Alec vão para uma sala privada da boate.
No filme: Eles matam o demônio ali mesmo, sem sala nenhuma, no meio de todos.
Essa modificação foi boa, pois não tem sentido eles irem para uma sala privada, para fazer uma coisa que nenhum mundano, presente naquela boate, iria ver.

Um dos personagens, que na minha opinião foi o mais "mudado", em relação às características, personalidades, etc, foi o Valentim, porque, o cabelo dele, nos livros é branco, e no filme é preto. Colocaram umas trancinhas nele, não me pergunte o por quê. Mas no filme ele passou uma sensação de uma pessoa bem "viking" e um pouco sexy, ao contrário do Valentim dos livros. O Jonathan Reyes passou a insanidade do Valentim dos livros, o que foi muito bom.

Enquanto Valentim tinha seu jeito sexy, Izzy foi totalmente ao contrário, porque nos livros, ela é sexy, decidida e resolvida, e eu achei que a Jemina (intérprete de Izzy) não passou essa sensação para os fãs, na cena da luta entre os Caçadores de Sombras e os Vampiros, ela até "manda bem", digamos assim, com seu chicote. Porém, ainda no assunto Izzy, temos um pouquinho do romance Sizzy (Simon + Izzy), que é a parte, que eles descobrem a mãe da Clary, e lutam com alguns demônios, sozinhos, no Instituto.

A parte que senti mais falta, foi quando Simon vira rato, na festa do Magnus, no filme ele simplesmente é sequestrado pelos vampiros, mas tem toda aquela luta entre os Caçadores de Sombras e os Vampiro em ambos, porém, no filme todos participam, e no livro apenas Clary e Jace, Alec e Izzy não, mas não foi algo que me deixou frustrado.

Um personagem que senti falta, e que teria uma grande participação em Cidade das Cinzas, se fosse ter o filme, foi o Rafael, o líder do clã de Vampiros, bem, ele não era "O" líder, porque ele estava substituindo Camille, mas ele não aparece no filme.

Jamie e Lily foram perfeitos, passaram a química do romance Clace, perfeitamente. Alguns fãs podem não concordar, mas eles foram feitos um para o outro.

A minha cena favorita, é a cena do aniversário da Clary, onde Jace a leva para o jardim do Instituto e convenhamos, ficou perfeita, os produtores estão de parabéns, confira:

Quando eles estão lutando contra Valentim e os demônios, nos livros, não acontece no Instituto, assim como no filme, porque demônios não entram em solo sagrado, e quem luta com Valentim é Jace, e não o Luke. E é aí que eles erraram feio!

Hodge também foi um erro, ele não foge, não é retirado de sua maldição, e não ajuda os Shadowhunters no livro, ele é preso em Idris, porque ele dedurou que eles estavam com o Cálice e talz.

Em geral, eu gostei muito do filme, apesar dos erros, foi cheio de ação e emoção, e não sei se vocês já sabem mas os livros vão ser adaptados para uma série de TV, produzida pela ABC, e se quiser saber mais algumas notícias sobre o mundo dos Caçadores de Sombras, confira o site Lâmina Serafim.

E se você já assistiu o filme, conte para nós aí nos comentários o que achou, obrigado por ler, amanhã temos mais coisas na Semana Shadowhunters e até mais!!

Jorge Henrique Ama o Universo dos livros, das séries de TV e da Matemática, seus autores preferidos são Cassandra Clare, J.K. Rowling, David Levithan, Verônica Roth, Cornélia Funk, e seu maior sonho é ter uma enorme biblioteca em seu quarto, mas por enquanto se contenta com o que tem. Facebook

←  Anterior Proxima  → Página inicial