lockquote Resenha: A Culpa é das Estrelas ~ Diurnos - Os Leitores

segunda-feira, 13 de abril de 2015

Resenha: A Culpa é das Estrelas




Título: A Culpa é das Estrelas
Título original: The Fault in Our Stars
Autor: John Green
Ano de lançamento: 2012
Editora: Intrínseca
Número de páginas: 288
Avaliação: 5/5 +Favorito
Skoob

Sinopse:
 Hazel foi diagnosticada com câncer aos treze anos e agora, aos dezesseis, sobrevive graças a uma droga revolucionária que detém a metástase em seus pulmões. Ela sabe que sua doença é terminal e passa os dias vendo tevê e lendo Uma aflição imperial, livro cujo autor deixou muitas perguntas sem resposta. Essa era sua rotina até ela conhecer Augustus Waters, um jovem de dezessete anos que perdeu uma perna devido a um osteosarcoma, em um Grupo de Apoio a Crianças com Câncer. Como Hazel, Gus é inteligente, tem senso de humor e gosta de ironizar os clichês do mundo do câncer - a principal arma dos dois para enfrentar a doença que lentamente drena a vida das pessoas. Com a ajuda de uma instituição que se dedica a realizar o último desejo de crianças doentes, eles embarcam para Amsterdã para procurar Peter Van Houten, o autor de Uma aflição imperial, em busca das respostas que desejam. Inspirador, corajoso, irreverente e brutal, A Culpa é das Estrelas é a obra mais ambiciosa e emocionante de John Green, sobre a alegria e a tragédia que é viver e amar.

O livro conta a história de Hazel uma garota diagnosticada com câncer, e que por conta disso ela tem uma vida deprimente, porém um dia sua mãe decide colocar ela em um grupo de apoio. Para Hazel foi uma tortura ir aos encontros do grupo até o dia que conheceu Augustus Waters, um garoto de 17 anos que 'venceu' o câncer, que depois de acompanhar seu amigo até o grupo, então após conhecer Hazel a convida para assistir um filme em sua casa, então numa troca de livros Gus conhece a história preferida de Hazel, Uma Aflição Imperial, onde ela tem um final que acaba deixando muitas perguntas sem respostas ( na verdade acaba no meio de uma frase), fazendo elas ficarem curiosos. Na procura de respostas Gus gasta seu sonho para pessoas com câncer, e eles fazem uma viagem até Amsterdã para saber o fim do livro direto com Peter Van Houten, o autor.

"Alguns infinitos são maiores que os outros"

A história é boa, prende a atenção do leitor do começo ao fim, as personagens são divertidas e amigáveis para o leitor, o que influencia muito se o livro é bom ou não.

O livro é narrado por Hazel, que conta em 1ª pessoa, as aventuras dela e de Gus, a escrita de John Green é muito boa, no geral ela sempre vai direto ao ponto, sem enrolação, isso é um dos fatores que faz dele um grande autor.

A história é inspirada em Ester Earl, uma garota que John conheceu, por isso ele tem um toque de romantismo e por isso ele acaba sendo diferente dos outros livros do autor.

O livro físico tem um ótimo tamanho, para levar na bolsa, ou até mesmo carregar na mão, o tamanho da letra é normal e não há nenhuma dificuldade na leitura. Temos duas versões de capas, a original e a do filme (lançado em 2014), isso depende do gosto do leitor (por exemplo a minha é a do filme, a do Jorge já é a original).

John Green trabalhou como capelão em um hospital infantil. Enquanto estava lá, teve a inspiração para escrever seu primeiro romance, Quem é você, Alasca?, que se tornou um bestseller nos Estados Unidos e ganhou muitos prêmios literários. O segundo romance de John, An Abundance of Katherines, foi publicado em 2006.  Paper Towns, publicado nos EUA em 2008, estreou em quinto lugar na lista dos mais vendidos do The New York Times.

Laurinha Carvalho É uma estudante que em seu tempo livre ajuda seu amigo a administrar um blog. Seu maior sonho é... é Laura tem muitos grandes sonhos, todos não irão caber aqui. Facebook

←  Anterior Proxima  → Página inicial